Dicas de Mulher Dicas de Saúde

5 fontes de vitamina D e por que ela é essencial para a saúde

Produzida no organismo e ativada por meio da exposição solar, a vitamina D atua na prevenção e combate de diversas doenças

em 28/11/2016

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

De um tempo para cá, a vitamina D tem sido assunto frequente entre os especialistas e ganhado destaque especial nos meios de comunicação. Hoje, sabe-se, inclusive, que cerca de 50% da população brasileira tem níveis inadequados dessa vitamina, e que a correção desta deficiência é importante para restaurar o bom funcionamento do organismo, melhorando a absorção intestinal do cálcio alimentar e reduzindo o risco de osteoporose, entre muitos outros benefícios.

Ana Luisa Vilela, médica nutróloga da Slimform, explica que a vitamina D é metabolizada na pele e possui várias atuações no organismo, mas, a mais conhecida, sem dúvidas, é a absorção de cálcio. “Ela é produzida no organismo e ativada na exposição solar”, diz.

A principal particularidade da vitamina D, aliás, em relação às outras vitaminas é que sua principal fonte de produção é através da exposição solar: ou seja, os raios ultravioletas do tipo B (UVB) são capazes de ativar a síntese desta substância. Já as outras vitaminas, em geral, só podem ser adquiridas através da dieta.

A vitamina D é pouco presente em alimentos, o que de certa forma justifica um pouco os muitos casos de deficiência dessa vitamina – que tem papel fundamental na manutenção do tecido ósseo e que influencia consideravelmente no sistema imunológico, sendo interessante para a prevenção e o tratamento de muitas doenças, especialmente no tratamento das doenças autoimunes.

Até mesmo por esta dificuldade em obter a vitamina D por meio da alimentação, na maioria dos casos em que é detectada a deficiência dessa vitamina, é indicada a suplementação.

Alimentos que são fontes de vitamina D

A Overall Team – equipe de brasileiros responsáveis por cuidar de diversos atletas nos Estados Unidos, que tem como proprietários o nutricionista Rubens Gomes e a life Coach Dora Rodrigues – ressalta que geralmente as melhores fontes de vitamina D são peixes gordos de água fria, como o salmão e a truta. “Mas vale lembrar que até 90% da produção é estimulada pelo sol, ou seja, a exposição à luz solar é a maior promotora no aumento da síntese de vitamina D”.

Priscila Amadio, nutricionista da clínica Chiquetá, ressalta que poucos alimentos são realmente ricos em vitamina D, mas que isso não é um problema grave, já que o organismo humano tem essa característica de obter vitamina D primariamente do sol (e não da alimentação).

Porém, abaixo a nutricionista destaca alguns alimentos que são fontes de vitamina D:

Imagem: Dicas de Mulher

Imagem: Dicas de Mulher

De forma geral, ao ser detectada a deficiência de vitamina D, já é indicada a reposição desta vitamina em forma de medicamentos (e não somente através da alimentação).

6 funções da vitamina D no organismo

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Embora hoje já se fale em vários benefícios associados à vitamina D, muitos estudos ainda estão em andamento. Mas, podem ser destacadas como algumas das principais funções dessa vitamina no organismo:

1. Ossos saudáveis

Ana Luisa destaca que a vitamina D age na absorção e controle de cálcio. Esta é, inclusive, sua principal função. Tanto que a deficiência dessa vitamina pode ocasionar raquitismo em crianças; osteoporose em adultos; além de menor força muscular em idosos (aumentando o risco de quedas e fraturas).

2. Bom funcionamento do coração

A equipe Overall explica que essa vitamina atua também no controle das contrações do músculo cardíaco, ou seja, ajudando a bombear sangue para o corpo.

3. Gravidez mais saudável

Essa vitamina tem papel importante na gestação, primeiramente porque age no sistema imunológico, ajudando a evitar casos de aborto (associados à rejeição da implantação do embrião). Muitos estudos têm avaliado outras vantagens da vitamina D para gestantes, como a diminuição do risco do bebê desenvolver problemas respiratórios, prevenção à diabetes gestacional, ao parto prematuro e a infecções.

4. Melhora no ganho de massa muscular

Os profissionais da equipe Overall destacam que a vitamina D funciona no organismo humano como um aditivo hormonal pela sua característica esteroidal.

5. Bom funcionamento do sistema endócrino

Ana Luisa explica que a vitamina D regula o sistema endócrino e atua na paratireoide e no controle da função PTH (o hormônio da paratireoide). Isso é importante pois, caso a PTH aumente e haja desgaste de cálcio, isso pode resultar em osteoporose, além da possibilidade de evoluir para doenças do sistema nervoso e degenerativas.

6. Prevenção e tratamento de doenças

A vitamina D já vem sendo utilizada com sucesso no tratamento de doenças autoimunes (quando o sistema imunológico ataca tecidos saudáveis do corpo), como, por exemplo, esclerose múltipla, artrite reumatoide e problemas oftalmológicos.

Muitos estudos têm sido feitos ainda com o objetivo de comprovar benefícios da vitamina D no combate e na prevenção do câncer, mas mais estudos ainda devem ser feitos neste sentido.

Deficiência de vitamina D: sintomas e complicações

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Os profissionais da equipe Overall explicam que, em adultos, os baixos níveis de vitamina D são, na maioria das vezes, assintomáticos. “Mas na formação e crescimento dos seres humanos, sua carência pode gerar retardo no desenvolvimento motor e formação genética”.

Assim, em resumo, podem ser destacadas com algumas das complicações associadas à deficiência de vitamina D:

  • Retardo no desenvolvimento motor e formação genética;
  • Osteoporose;
  • Doenças cardíacas;
  • Imunidade baixa, com aumento de doenças respiratórias e infecções;
  • Fraqueza muscular e/ou perda de força em idosos.

Ana Luisa ressalta que a falta de vitamina D pode fazer com que a PTH (hormônio da paratireoide) aumente e haja desgaste de cálcio, o que pode resultar em osteoporose, além da possibilidade de evoluir para doenças do sistema nervoso e degenerativas.

Priscila destaca que a melhor maneira de comprovar a deficiência de vitamina D é fazer um teste de sangue, solicitado por um médico.

Tratamentos para reposição da vitamina D

Sendo detectada a deficiência de vitamina D, após exame de sangue, o médico em questão indicará o tratamento mais eficaz, que normalmente envolve:

  • Alimentação equilibrada e variada;
  • Exposição ao sol (lembrando que o filtro solar bloqueia a absorção, portanto, não deverá ser usado neste caso, mas, por isso, a exposição ao sol deverá ser feita em horários de menor radiação solar, sempre conforme orientações médicas);
  • Suplementação de vitamina D.

“Sem dúvidas o indivíduo deverá priorizar banhos de sol, mas uma suplementação efetiva e constante pode favorecer a deposição, desde que todo o tratamento seja supervisionado por um profissional da área de saúde ou médico”, ressaltam os profissionais da equipe Overall.

Riscos do consumo em excesso

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Priscila destaca que o próprio organismo humano tem um “sistema contra a toxicidade” de vitamina D, ou seja, não existe risco de intoxicação dessa vitamina devido à exposição solar. Mas, a suplementação (via oral), sim, quando em excesso, pode levar à toxicidade.

De acordo com as profissionais da equipe Overall, alguns dos efeitos colaterais associados ao excesso de vitamina D no organismo são:

  • Perda do apetite;
  • Náuseas e vômitos;
  • Sede excessiva;
  • Aumento da emissão de urina;
  • Fraqueza;
  • Nervosismo;
  • Hipertensão;
  • Cálculos renais.

Dessa forma, reforça-se a importância de ingerir vitamina D (por meio de suplementação) somente quando houver orientação médica.

Do mais, uma alimentação equilibrada e a exposição solar (feita em horários corretos, sem o uso de protetor solar) costumam ser medidas eficazes para garantir os níveis adequados de vitamina D no organismo.

Comentários
Dicas relacionadas