Tudo sobre anorexia

Entenda as causas, consequências e soluções deste distúrbio alimentar

Por Carolina Werneck
tudo sobre anorexia Tudo sobre anorexia

Foto: Thinkstock

Com o aumento da concorrência em profissões que exigem um aspecto físico próximo ao que é considerado perfeito, e principalmente com a grande visibilidade alcançada por essas profissões, milhões de pessoas – principalmente mulheres – se sentem compelidas a seguir um padrão de beleza que nem sempre é o ideal para seu tipo físico e, definitivamente, não é o ideal para sua saúde.

A verdade é que a chamada “ditadura da beleza” faz com que muitas mulheres se submetam a procedimentos estéticos perigosos e dietas alimentares rigorosas. No entanto a busca pelo corpo perfeito, ao contrário do que muitos acreditam, não é tendência recente na sociedade. Há muitos séculos as pessoas procuram encaixar-se em padrões determinados por aspectos culturais do local em que vivem. O que houve, certamente, foi uma mudança contínua e lenta desses padrões. À época do Renascimento, por exemplo, a mulher ideal não era magra; deveria ter quadris largos e até mesmo um pouco de gordura na região do abdômen, já que isso era considerado sensual.

Passam-se os anos, vão-se os padrões. A indústria da moda não se restringe a ditar tendências de vestuário; através de sua representação mais humana – as modelos de passarelas e fotos comerciais, essa indústria alcança uma grande influência na vida de crianças e adolescentes que sonham, um dia, fazer parte dela. E, uma vez que o padrão atual é a completa magreza, meninas de todas as idades se sentem impelidas a imitá-lo, ainda que haja um preço alto a ser pago.

Dentre os males causados por essa busca incessante, um dos mais graves é a chamada “Anorexia Nervosa“.

O que é?

O distúrbio psicológico, que faz com que a pessoa se enxergue mais gorda do que de fato é, normalmente tem início na adolescência, quando o indivíduo é mais suscetível a pressões sociais eventualmente sofridas pelos amigos ou no ambiente escolar.

Indivíduos que desenvolvem a anorexia nervosa costumam, em paralelo, desenvolver um ou vários tipos de comportamento compulsivo. A maioria dirige esses comportamentos para o controle absoluto dos alimentos ingeridos e do ganho de peso, chegando a fases extremas de completa abstinência alimentar em estágios mais avançados.

Causas

A medicina ainda não determinou uma causa específica para a anorexia nervosa. Algumas pesquisas dão conta de que fatores genéticos podem estar envolvidos, além de problemas psicológicos como a baixa autoestima, uma visão distorcida de si mesmo e a pressão sofrida no ambiente social.

Complicações

A doença pode causar danos aos mais diversos sistemas do corpo humano. Conforme se agrava o quadro psicológico do paciente o distúrbio alimentar deixa de ser apenas dessa ordem e passa a prejudicar outras áreas da saúde. Alguns desses efeitos colaterais da anorexia podem ser:

  • Atraso no desenvolvimento e crescimento – quando em adolescentes;
  • diminuição ou aceleração do ritmo cardíaco;
  • problemas diversos relacionados ao sistema digestivo;
  • diminuição da densidade óssea;
  • anemia;
  • descontrole hormonal;
  • subnutrição aguda.

Tratamento

O tratamento da anorexia não deve estar voltado apenas para o ganho de peso. Como o problema é originado por algum distúrbio psicológico, este é um setor que merece a atenção do paciente, bem como das pessoas com quem ele convive.

É indicada uma integração de terapia individual, grupal e familiar para que o ambiente em que o paciente está inserido possa colaborar para a melhora de seu quadro psicológico. É essencial que a família e os amigos entendam o problema e suas consequências, para que não os julguem pequenos ou sem maior importância.

Um aconselhamento nutricional também deve ser iniciado, regrando a ingestão de alimentos saudáveis e necessários para o bom funcionamento do corpo.

A participação de pessoas próximas no processo de recuperação pode facilitar a compreensão, por parte do paciente, do absurdo dos padrões de beleza exigidos pela mídia atual. Apoio psicológico e confiança em pessoas do convívio diário são instrumentos fundamentais para lidar com problemas como a anorexia.