Dicas de Mulher Dicas de Saúde

Tromboembolismo venoso e os anticoncepcionais

Saiba o que é, quais são as formas de tratamento e como evitar essa doença

em 27/04/2012

Segundo o Ministério da Saúde, o Sul do Brasil é a região com maior índice de mortes por tromboembolismo venoso. Isso se dá pela ausência de informações e orientações de prevenção da doença. Mas afinal, o que ela é e quais são os sintomas e tratamentos?

Também chamado de trombose, o tromboembolismo venoso é caracterizado pela coagulação do sangue no interior das veias. “Estes coágulos podem se desprender destas veias e irem para o pulmão, gerando o tromboembolismo pulmonar, doença grave e potencialmente fatal”, comenta o ginecologista e obstetra da Clínica MAE, Alfonso Massaguer.

Por ser uma doença que não possui sintomas totalmente característicos, é recomendado fazer exames de rotina para evitar surpresas posteriormente. “O tromboembolismo venoso pode ser uma doença sem sintomas, pode evoluir para um edema de pernas, até a situação mais grave de tromboembolismo pulmonar, com falta de ar, choque e até a morte”, explica Massaguer.

Segundo o ginecologista, há fatores que aumentam a incidência da doença. “Existem alguns fatores que podem predispor a formação de trombos como alterações genéticas, tabagismo, imobilizações, alguns hormônios e tumores. O trombo pode ser formar principalmente em veias maiores dos membros inferiores, tendo ou não a presença de sinais inflamatórios na região, como dor, vermelhidão, aumento de temperatura, edema”, diz.

Mas como prevenir? Antes de mais nada, é preciso que você consulte regularmente o seu médico e nunca tome medicação sem a indicação e prescrição dele. “A prevenção é feita evitando imobilizações, tabagismo e alguns hormônios. A utilização de meias elásticas e anticoagulantes ajudam também na prevenção”, explica Massaguer

Acreditar que as pílulas anticoncepcionais auxiliam na prevenção do tromboembolismo venoso é mito. “Não podemos dizer que as pílulas ajudam a prevenir, pois algumas delas podem até aumentar o risco de tromboembolismo”, diz o ginecologista.

Por isso, há a necessidade de consultar a opinião do seu médico. Pois em casos mais sérios, é preciso fazer cirurgias. “A prevenção é o mais importante.

Durante episódios de trombose podemos usar anticoagulantes e até internar o paciente. Em situações mais graves podemos recorrer até a trombolíticos (substâncias que destroem o trombo) ou cirurgia”, comenta Massaguer.

Porém, ter algumas atitudes caseiras podem sim contribuir para a prevenção. Anote aí:

  • Caminhadas: Andar regularmente no dia a dia é recomendado, já que a caminhada ativa a circulação sanguínea.
  • Movimentar o corpo: Durante a rotina de trabalho, é comum ficar horas e horas sentado na mesma posição em frente ao computador. Por isso, procure movimentar os pés para cima e para baixo e caminhe pelo escritório a cada uma hora.
  • Vida saudável: Evite o sedentarismo e bebidas alcoólicas. Além de ser prejudiciais ao organismo como um todo, é uma ótima ferramenta de evitar a doença.
  • Consultas médicas: Se você tem casos na família de trombose, é preciso que você peça orientações ao seu médico de qual é a melhor maneira de se prevenir. Além é claro de fazer exames de rotina com frequência.
Comentários
Dicas relacionadas