Dicas de Mulher Dicas de Saúde

Sapinho: saiba por que o problema acomete crianças e como evitá-lo

Chupetas e mamadeiras, quando não são higienizadas corretamente, podem facilitar a proliferação do fungo na região bucal

em 29/09/2014

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

A maioria das pessoas já ouviu falar sobre “sapinho”, mas poucas sabem, de fato, o que esse nome representa. Esta é a denominação popular da monilíase (ou ainda, candidíase oral), uma infecção fúngica bucal.

Denise Bedoni, pediatra do Hospital Leforte, explica que a infecção é causada por um fungo semelhante a uma levedura, o Candida albicans, que também pode provocar assadura e vaginite.

Vale destacar que o Candida está presente no sistema digestivo de todo mundo e não causa doenças em um indivíduo sadio, mas, quando há um desequilíbrio, essa presença se transforma em infecção.

De acordo com a médica Denise, o sapinho é geralmente visto em crianças com menos de seis meses. “É muito comum em crianças pequenas (bebês) com a imunidade sensível e em crianças maiores imunodeprimidas (que têm as suas defesas imunológicas fracas e são facilmente contagiadas por vírus ou baterias) ou com doenças crônicas”, destaca.

O sapinho não se restringe às crianças, pode ainda acometer adultos com doenças crônicas ou imunudeprimidos.

Causas do sapinho em crianças

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Denise Bedoni explica que as causas do sapinho são: baixa resistência e contaminação bucal.

Vale lembrar que o fungo causador do sapinho, o Candida albicans, é encontrado naturalmente no trato digestivo de qualquer ser humano sem causar nenhuma complicação. Porém, quando a imunidade cai, o organismo não consegue combater esses fungos que se multiplicam e começam agir, causando as infecções. Como o sistema imunológico do bebê ainda não é maduro o suficiente para combater tais fungos, o sapinho acaba por aparecer.

No caso dos bebês, é muito comum, por exemplo, que eles contraiam sapinho como resultado de sugar chupetas ou bicos de mamadeira inadequadamente limpos. Por isso, pode-se dizer, de forma geral, que a maneira mais simples e prática de se prevenir o aparecimento do sapinho é prezar pela higiene.

Sintomas do sapinho em crianças

O principal sintoma do sapinho é o surgimento de pontinhos brancos na região oral, como língua, parte interna das bochechas, céu da boca, canto dos lábios e até mesmo nos lábios.

Denise Bedoni destaca que, geralmente, ocorre baixa ingestão e recusa alimentar quando o sapinho acomete as crianças.

No caso dos bebês especificamente, pode ocorrer de ele chorar quando mama ou quando chupa a chupeta. Outras vezes, porém, o pequeno pode não dar grandes indicações de dor ou irritabilidade.

Diagnóstico do sapinho

Denise Bedoni explica que o diagnóstico é feito pela avaliação clínica e com exame de mucosa oral.

Por isso, caso observe pontinhos brancos (características do problema) na boca do seu filho e desconfie que ele está com sapinho, não hesite em procurar o pediatra, que diagnosticará o problema e passará todas as informações necessárias para tratar a infecção.

Tratamento para o sapinho em crianças

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

A pediatra Denise explica que o medicamento mais comumente receitado para sapinho é um antifúngico líquido, como Nistatina, dado quatro vezes ao dia, até que a infecção seja debelada. “Você pode pincelar a boca do seu bebê com esse medicamento ou esguichar delicadamente o líquido na sua boca com um conta-gotas ou uma seringa. Os bebês podem sugar o medicamento diretamente de uma seringa”, diz.

“Devido ao alto conteúdo de açúcar da Nistatina, deve-se ter cuidado ao ministrar este remédio a uma criança que já tenha dentes”, acrescenta a pediatra.

Alguns médicos podem recomendar ainda a aplicação de uma pomada antifúngica nos mamilos da mãe, caso ela esteja amamentando (para que a infecção não passe do bebê para a mãe; da mãe para o bebê).

Sapinho em crianças: podem ocorrer complicações?

Caso o problema não seja tratado, podem ocorrer complicações? Esta é uma dúvida comum, especialmente entre as mães que têm filhos pequenos (bebês).

Denise Bedoni explica que, casa o problema não seja tratado, a infecção pode se disseminar para toda a mucosa oral e orofaringe e a criança passará a ter dificuldade para se alimentar, resultando na perda de peso.

Por isso é importante que a mãe, ao notar qualquer sinal suspeito, procure orientação do pediatra da criança.

Como prevenir o sapinho em crianças

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Aleitamento materno. A pediatra Denise destaca que é importante estimular o aleitamento materno para manter aporte de anticorpos e evitar a contaminação.

Higiene. As mães nunca devem subestimar a importância da higiene simples e prática. Nunca devem se esquecer, por exemplo, de higienizar as mãos antes de cuidar do seu bebê.

Seios secos. A lactante, de acordo com a médica Denise, deve evitar que seus seios fiquem úmidos durante muito tempo, mantendo-o secos entre as mamadas e deixando-os “arejados” durante algum tempo. Se for necessário limpá-los, deve usar água com um pouco de água oxigenada.

Chupetas e mamadeiras limpas. Denise Bedoni destaca que os bebês que tomam mamadeira, às vezes, contraem sapinho como resultado de sugar chupetas ou bicos de mamadeira inadequadamente limpos (muitas vezes consequência de deixá-los cair e depois colocá-los novamente na boca). “Para evitar isso, tenha sempre à mão um grande suprimento de bicos de borracha, chupetas e/ou objetos para dentição limpos ou lave-os com água oxigenada e enxágue-os na água antes de dá-los novamente ao seu bebê”, explica.

Agora você já tem boas dicas de como prevenir o sapinho no seu filho. Mas, caso a infecção aconteça, lembre-se de tratá-la até o fim, seguindo todas as orientações passadas pelo médico pediatra.

Comentários
Dicas relacionadas