Novidade! Baixe nosso app em seu smartphone Android iPhone

Dicas de Mulher Dicas para Mães

Quando planejar uma gravidez?

Para fazer tal planejamento, a mulher deve ter em mente seus objetivos de vida

em 24/07/2012

Foto: Thinkstock

Mesmo casada, hoje, a mulher é e quer ser independente: estuda para ter uma profissão, trabalha fora para ajudar nas despesas, cuida da casa e principalmente da família.

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontam que 66,4% da população feminina está empregada formal ou informalmente. Já o Ministério da Educação (MEC), mostra que cerca de 2,8 milhões das matrículas no ensino superior são ocupadas por elas. Como abrir mão de tantos compromissos para engravidar?

Em 1962, quando a pílula anticoncepcional chegou ao Brasil, as mulheres puderam escolher em que momento da vida seriam mães. Esse foi apenas mais um dos fatores que contribuíram para o declínio da taxa de natalidade brasileira, que registrou 1,9 filho por família, em 2010, contra 5,8, nos anos 1970. “Vivemos uma época de maior liberdade individual. A mulher pode decidir qual o melhor momento de engravidar e, inclusive, se deseja ser mãe ou se quer ter um filho sem se casar. Diferente de antigamente, quando eram ‘preparadas’ para o lar desde pequenas”, diz a psicóloga Vanessa Pik Quen Lee.

O melhor momento para a gestação deve ser definido através do planejamento de vida da futura mamãe. Segundo a Dra. Vanessa, o caminho que se percorre antes da maternidade é construir uma carreira e conseguir estabilidade, tanto na vida profissional como na pessoal. “Existe uma tendência de comportamento, apontada nas estatísticas, que demonstra que muitas mulheres elegem o momento certo como aquele em que atingiram estabilidade pessoal, no casamento, na carreira e financeiramente”, sugere.

Mas essa não é uma regra. “O melhor momento é individual. A mulher deve estar receptiva e disposta a se dedicar intensamente a um ser humano totalmente dependente dela. Há quem queira ser mãe quando jovem porque tem mais energia, disposição e afinidade ou sintonia com crianças. Já outras preferem assumir a maternidade quando estão mais maduras, quando se sentem mais seguras, preparadas e experientes”, explica Dra. Vanessa.

Para a psicóloga Vanessa Pik Quen Lee, “ter um ou mais filhos não impede a mulher de obter sucesso na vida.” O que reforça a ideia de que o momento ideal é quando a mãe se sente preparada para cuidar do bebê. Ter condições financeiras e estabilidade na vida pessoal, mesmo sem ser casada, no caso de produção independente ou adoção, é importante para proporcionar uma infância saudável e feliz.

Ana Lúcia Alves decidiu ter seu primeiro filho com 30 anos. Quando engravidou, não era casada ainda, mas mantinha uma relação estável com o pai da criança. De qualquer forma, a vida profissional estava mais bem resolvida, ela é terapeuta ocupacional e atua na área de formação. “Hoje meu filho tem dois anos. Consegui melhorar meus horários no trabalho para passar mais tempo com ele, já que eu já estava consolidada na profissão, e me senti segura o suficiente para cuidar de uma criança”, conta.

Vale lembrar também que ainda há um pressão social para que toda mulher tenha um filho, mas isso não é uma obrigação real. Há quem prefira não ter filhos e essa decisão deve ser respeitada. A mulher que não é mãe, não é menos mulher que uma que tem. Portanto, cada uma tem liberdade para decidir se quer ter filhos e quando e quantos quer ter.

Receba nossas melhores dicas diretamente em seu e-mail

Assine nossa newsletter para receber nossas novidades sobre os assuntos do momento.

Nós odiamos spam. Nunca usaremos seu e-mail para outros fins.

Comentários
Dicas relacionadas