Proteja seu filho das doenças de inverno

Os vírus e bactérias se proliferam no inverno porque os ambientes ficam fechados e o ar não circula

Por Gisele Macedo Sá
proteja seu filho das doencas de inverno Proteja seu filho das doenças de inverno

Foto: Thinkstock

Durante o inverno as crianças tendem a sofrer com as doenças da estação e as idas aos hospitais se tornam mais frequentes. Mas com alguns pequenos cuidados você pode proteger seu filho e sua família de algumas doenças comuns do inverno.

Segundo o pediatra e presidente do Departamento Científico de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, Eitan Naaman Berezin, as doenças que mais atingem as crianças no inverno são infecções disseminadas por vírus e bactérias.

Isso acontece porque no inverno os ambientes ficam naturalmente mais fechados, sem a circulação de ar, o que faz os vírus e as bactérias se proliferarem mais rápido.

Neste caso, a criança fica exposta a doenças como gripes, resfriados, otites (infecção no ouvido) e a complicações como pneumonia e sinusite. Além disso, uma criança que sofre de rinite, bronquite ou asma pode apresentar mais crises, por conta do ar que no inverno fica mais seco e concentra a poluição.

A precaução para prevenir um destes quadros é ficar atento a higiene da criança, tanto na escola, quanto em casa. “Lavar as mãos com sabonete bactericida ou usar álcool gel para higienização da área é importantíssimo para evitar a proliferação de bactérias e vírus”, explica o pediatra.

Ele alerta para que os pais ensinem aos filhos a maneira mais adequada de tossir, quando a criança estiver gripada ou resfriada. “Deve-se cobrir a boca com o antebraço. Desta forma evitamos o contato do vírus com as mãos”, explica o médico.

Proteção que vem da mãe

O pediatra explica ainda que crianças entre 1 e 4 anos tendem a se infectar mais. Isso acontece porque este é o período em que elas vão criar seus próprios anticorpos e por isso ficam mais suscetíveis. Quando nascem, elas carregam no organismo a proteção dos anticorpos da mãe e ao serem amamentadas continuam a se beneficiar deste amparo. “Mas isso faz parte do processo de evolução do organismo das crianças, não é nada assustador”, alerta o pediatra.

O médico também salienta que os pais devem ficar atentos à vacinação das crianças. Ele indica que os bebês sejam vacinados contra a pneumococo, uma bactéria que causa doenças como pneumonias bacterêmicas, meningite, sinusite, otite média aguda, conjuntivite, bronquite e pneumonia. “Esta vacina já está disponível inclusive na rede pública de saúde. No primeiro ano de vida a criança deve tomar as três doses da vacina, e reforça-la no segundo ano”, finaliza Berezin.

Mas se a criança apresentar sinal de febre, tosse e complicações respiratórias evite manda-la para escola, especialmente nos primeiros dias em que os vírus e bactérias se espalham mais rápido, e leve-a ao seu médico pediatra.