Planejamento financeiro: rumo ao sim com os pés no chão

Veja dicas para economizar antes de se unirem oficialmente e viverem juntos

Por Fernanda Boito
planejamento financeiro para casar Planejamento financeiro: rumo ao sim com os pés no chão

Foto: Thinkstock

A decisão já foi tomada e logo o casal passará a dividir a mesma casa. Mas além da alegria por estarem juntos, eles também vão dividir as despesas e o momento exige organização financeira. A partir disso, a preocupação em como juntar dinheiro torna-se mais evidente. Por isso, selecionamos algumas dicas que podem contribuir para que a união do casal aconteça sem o fantasma das dívidas.

Planejamento e metas

O primeiro passo para garantir uma união tranqüila financeiramente é planejar-se. É fundamental que o casal estabeleça o quanto pretende gastar tanto no início do casamento, ao escolher onde vão morar, por exemplo, quanto durante o relacionamento, calculando as despesas mensais.

A partir do momento que se sabe, mesmo que aproximadamente, o quanto vai gastar, pode-se começar a planejar como juntar dinheiro para pagar as despesas. A grande vantagem do planejamento é a organização, porém, o processo de tomada de decisões pode gerar alguns desentendimentos, já que as prioridades podem ser bem diferentes.

Equilíbrio dos gastos

Uma maneira simples de começar é equilibrar os gastos do casal. Mais uma vez, estabelecer prioridades é essencial. Mas como resistir à tentação de comprar aquele item tão cobiçado da vitrine do shopping? Todas às vezes que sentimos vontade de gastar, podemos nos fazer duas perguntinhas: Eu realmente preciso disso? E se preciso, tem que ser agora?

Outra dica para ajudar no equilíbrio das despesas é registrar tudo o que se gasta. Esse registro pode ser feito em uma planilha ou um diário e ajudará o casal a perceber em quê e quanto realmente gastou. A partir disso, fica mais fácil definir em quê economizar.

Vale a pena lembrar que a dica é equilibrar gastos e não abster-se. Deixar de gastar com lazer, por exemplo, pode fazer mal e economizar demais pode resultar em chatice: certamente ninguém gostaria de ser chamado de “mão-de-vaca”.

Conta casamento e conta conjunta

Outra opção para equilibrar gastos é a abertura de uma conta conjunta, pois ao partilhar da mesma conta bancária o casal controla melhor as despesas e acaba pagando menos juros e taxas.

Há ainda uma opção mais moderninha para poupar. Alguns bancos têm disponibilizado a conta casamento. Trata-se de uma conta conjunta que ajuda no planejamento dos gastos. Primeiramente, o banco realiza um planejamento financeiro para o casal: define-se o quanto se quer poupar, em quanto tempo se pretende juntar dinheiro e qual plano de investimento é o melhor para o casal. A partir disso o banco calcula o valor a ser depositado todo mês e demonstra o total no final com a correção monetária.

Nesse caso, a conta casamento funciona como uma aplicação e demonstra ser útil a longo prazo. É uma ótima ideia para os casais que conseguem negociar e são disciplinados no pagamento das parcelas. Aliás, disciplina é um fator fundamental quando o assunto é poupar para casar.