Dicas de Mulher Dicas de Saúde

Papanicolau: tudo que você precisa saber sobre o preventivo

O exame permite a detecção precoce do câncer do colo do útero aumentando de forma significativa as chances de cura

em 09/09/2014

Foto: Thinkstock

De acordo com o INCA, a estimativa de câncer de colo de útero para o ano de 2012 são de 17.540 novos casos. Este é o segundo tumor mais frequente na população feminina, atrás apenas do câncer de mama, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil.

O câncer do colo uterino, também chamado de cervical, demora muitos anos para se desenvolver. As alterações das células que podem desencadear a doença são descobertas facilmente através do exame preventivo, conhecido também como Papanicolau, por isso é importante a sua realização periódica.

O exame é realizado com uma amostra de células da superfície do colo do útero, avaliando se há anormalidades que possam desenvolver um futuro câncer.

O preventivo também pode encontrar condições não cancerígenas, como infecções viróticas no colo do útero, tais como verrugas genitais causadas pelo HPV, o papiloma vírus humano, herpes e infecções vaginais causadas por fungos, como a candidíase ou por protozoários, como o Trichomonas vaginalis. O exame também pode dar informações sobre os níveis hormonais, principalmente estrogênio e progesterona.

Porque fazer o exame Papanicolau

O câncer cervical desenvolve-se em aproximadamente 10 anos após o contato com o vírus HPV. Por ter caráter de crescimento lento, as pacientes que realizam o exame Papanicolau periodicamente provavelmente não desenvolverão o câncer de colo uterino, pois as anormalidades detectadas precocemente podem ser tratadas antes que o câncer apareça.

“Mulheres diagnosticadas precocemente, se tratadas adequadamente, têm praticamente 100% de chance de cura.” acrescenta Leandro Moreira, doutorando em medicina pela Faculdade de Medicina de Valença.

Quem deve fazer o preventivo

O exame deve ser iniciado pelo menos três anos após início da vida sexual ativa ou aos 21 anos de idade, o que acontecer primeiro. Ainda que a mulher aos 21 anos seja virgem, esta deve realizar o preventivo. A coleta pode ser interrompida aos 65 anos, se houver exames anteriores repetidamente normais.

Qual o intervalo ideal de realização

O intervalo de realização do exame varia entre um e três anos baseado na presença de fatores de risco, tais como:

  • Início precoce da atividade sexual;
  • História de múltiplos parceiros sexuais;
  • História de ter tido parceiro com infecções genitais;
  • Passado de câncer de vulva ou de vagina;
  • Ter parceiro com história de câncer de pênis;
  • Ser fumante;
  • Estar imunodeprimida.

Como se preparar para o exame

O melhor período para a realização do exame é pelo menos uma semana antes da menstruação. O exame não deve ser agendado durante o período menstrual, pois este fator pode alterar o resultado do exame.

Deve ser evitado o uso de cremes ou duchas vaginais por 48 horas anteriores ao exame e não ter relações sexuais pelo menos 24 horas antes do procedimento, para não haver modificações com relação aos microrganismos naturais da vagina ou ao pH vaginal.

Seu médico deve ser informado se:

  • Estiver grávida;
  • Apresentar leucorréia vaginal, ou seja, corrimento;
  • Apresentar um exame de preventivo anterior com alguma anormalidade.

Quais são os procedimentos do preventivo?

É um exame bastante simples. A mulher fica na posição ginecológica, deitada, com os joelhos dobrados e as pernas afastadas; o médico introduz um espéculo na vagina – objeto que pode ser de plástico ou metal, que facilita a visualização de toda a vagina e do colo do útero; com uma espátula e uma escovinha retira material do orifício do colo do útero e da parede vaginal, retira o espéculo introduzido e coloca o material coletado em uma lâmina de microscópio, encaminhando esta para análise em laboratório de citopatologia.

Não há dor durante o exame, algumas mulheres sentem um leve desconforto. É importante manter-se relaxada durante o procedimento para facilitar a introdução do espéculo. O exame dura poucos minutos. Como é coletado material do colo do útero, às vezes, pode ocorrer um leve sangramento no local. A presença de dor ou a manutenção do sangramento deve ser prontamente comunicada ao ginecologista.

O que esperar após a realização do exame

Os resultados do exame são enviados ao seu médico em aproximadamente um mês, depende do laboratório. Com a chegada do resultado do exame, o médico informa a paciente sobre resultados.

Resultados do Papanicolau

Os resultados do papanicolau são divididos em:

  • Classe I: ausência de células anormais no organismo, ou seja, um exame normal;
  • Classe II: normalmente indica uma inflamação ou infecção;
  • Classe III: há presença de células anormais. Nessa classe, também é possível que a paciente tenha uma displasia, lesão celular reversível desencadeada por irritantes crônicos;
  • Classe IV: exame considerado suspeito para algum tipo de doença;
  • Classe V: existe a presença de neoplasia, ou seja, lesão tumoral.

Avaliação e acompanhamento após o exame

Se o resultado do exame for normal, não será necessário tratamento. O médico marcará outro exame de Papanicolau para um ou dois anos depois. Caso o exame detecte alguma infecção, o médico indicará os procedimentos para o devido tratamento.

No caso de anormalidades no exame, outros exames serão realizados, como a colposcopia e a biópsia, para que o médico determine a causa e apresente as opções de tratamento.

Comentários
Dicas relacionadas