Dicas de Mulher Dicas de Saúde

Os riscos do consumo do aspartame

Saiba quais prejuízos que o excesso deste adoçante artificial pode trazer e como utilizá-lo de forma saudável

em 11/05/2011

O aspartame é um adoçante artificial desenvolvido em laboratório muito utilizado na composição de diversos alimentos, remédios e principalmente em bebidas.

Com poder adoçante 200 vezes maior que o açúcar, seu consumo excessivo pode levar a um aumento dos níveis de elementos químicos no corpo humano que causam diversos efeitos colaterais.

Porque o aspartame em excesso é prejudicial?

Um dos resultados do excesso de aspartame no metabolismo é a liberação do ácido metanóico no sangue, uma substância altamente tóxica e que está presente até em venenos para formigas. Outro componente prejudicial à saúde é o ácido aspártico, que causa morte de células e é especialmente danoso para crianças – pois nesta fase o cérebro ainda não possui uma barreira protetora plenamente desenvolvida.

Além destes dois componentes, o aspartame também libera fenilalanina, que em alta concentração no cérebro pode abaixar o nível de serotonina levando a desordens como depressão, esquizofrenia, dor de cabeça e aumentar o risco de infarto.

Apesar de ser um produto encontrado sempre nas categorias de produtos saudáveis e dietéticos nas lojas e em supermercados, o aspartame pode aumentar a vontade de consumir carboidratos, causando aumento de peso.

Também é considerado um veneno para diabéticos, pois descontrola os níveis de açúcar no sangue podendo até levar ao estado de coma. Seu consumo é proibido para portadores de uma doença rara chamada fenilcetonúria, pois o organismo dos portadores não é capaz de metabolizar a fenilalanina.

Consumo seguro de aspartame

Se tiver dúvidas quanto à presença do aspartame nos produtos que fazem parte da sua alimentação, verifique os rótulos, pois a ANVISA regulamenta que a presença do aspartame e especialmente da fenilalanina esteja evidenciada nas embalagens. É importante lembrar que o consumo excessivo do aspartame pode causar danos à saúde, mas se consumido dentro dos limites, é um adoçante saudável.

A Agência Nacional de Vigilânca Sanitária ainda informa que a quantidade máxima de aspartame que um adulto com 60 kg pode ingerir diariamente, com segurança, é de 2.400 mg, o que equivale, aproximadamente, ao consumo de 48 envelopes de 1 g de um adoçante dietético com 5% de aspartame, ou a 4 litros de refrigerante adoçado apenas com aspartame. No caso de uma criança com 30 kg, as quantidades máximas correspondem a 24 envelopes do mesmo adoçante ou a 2 litros de refrigerante.

Por isso, é importante manter a ingestão de refrigerantes e produtos que contém aspartame em um nível saudável para se beneficiar de sua utilização sem colocar sua saúde em risco.

Stévia: Uma alternativa saudável

A stévia é uma planta original do Paraguai que tem grande capacidade adoçante e por isso pode ser uma alternativa para adoçar os alimentos e bebidas de forma mais saudável. O extrato desta panta, utilizado na fabricação do adoçante natural de stévia, chega a ser de 10 a 15 vezes mais adoçante que o próprio açúcar. Além disso, a stévia não é tóxica, não contém calorias, não causa diabetes, não altera o nível de açúcar no sangue e ainda possui inúmeras aplicações na medicina.

Comentários
Dicas relacionadas