Dicas de Mulher Notícias

Estudo confirma que estresse aumenta a vontade de comer doces

O dia-a-dia difícil pode gerar a dependência de guloseimas doces cada vez em maior quantidade

em 24/09/2014

Foto: Thinkstock

A Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP fez um estudo que comprova, mulheres estressadas tem sete vezes mais chance de desenvolver Dependência de Substâncias Doces (DSD), ou seja, aquela vontade irresistível e incontrolável de comer doces a toda hora. Quem realizou o estudo foi Danielle Marques Macedo, sob orientação da professora Rosa Wanda Diez Garcia, do Departamento de Nutrição e Metabolismo da FMRP, com a intenção de comprovar como o doce é consumido por mulheres para que elas se sintam melhores.

A pesquisa foi feita com 31 mulheres que vivem sob estresse constante e 26 outras que levam uma vida mais tranquila. O resultado mostra que a maioria das mulheres estressadas assume consumir e já ter consumido diversas vezes doces para se sentirem melhor e que sentem algum tipo de sintoma na ausência de doces. Mesmo sabendo das condições de risco a saúde que o consumo constante de doces pode causar, elas os consomem constantemente, e precisam de porções cada vez maiores, inclusive perdendo tempo de outras atividades pensando em meios de adquirir doces e os consumindo. Estas características condizem com as de alguém que possui o DSD e deve procurar ajuda antes que a saúde seja prejudicada.

Ambos tipos de mulheres tem vontade de comer doces, mas as que tem DSD sentem maior necessidade, como se fosse um vício de fato. Isso se deve aos níveis basais de leptina mais altos nessas mulheres e o alto nível deste hormônio tende a aumentar o consumo de alimentos, especialmente de doces. Os dados mostram não só a diferença do consumo de açúcares como também aponta uma diferença na circunferência da cintura, que é consideravelmente maior nas mulheres estressadas.

Comentários
Dicas relacionadas