Não tenha medo de sentir fome

O entendimento sobre o assunto fornece ferramentas para lidar com esse vilão

Atualizado em 02/07/2012 11:24
nao tenha medo de sentir fome Não tenha medo de sentir fome

Foto: Thinkstock

A segunda feira acabou sendo definida como o dia mundial do recomeço, mas na realidade, isso acaba não dando muito certo.

Você já se levanta pela manhã ansiosa com o que vai comer? Muitas pessoas já iniciam o dia planejando que será um novo recomeço, e que vai conseguir driblar a fome e perder peso.

É muito frequente ouvirmos essas queixas de pessoas que estão acima do peso ideal, nos mostrando o quanto a comida acaba servindo a outro objetivo que não é nutrir o corpo e sim nutrir a alma, o coração.

A comida também tem a conotação de afeto: é só lembrarmos da comida de nossa mãe, do bolo da avó, do pudim da tia, todos preparados carinhosamente para deixarem a família feliz. Muitas são as culturas que valorizam a abundância de comida, e nas festas a felicidade está estampada, todos ansiosos na espera de saborearem os melhores quitutes que conhecem, desde a infância.

A fome se transforma em um grande vilão, ou mesmo o medo dela. O que as pessoas não percebem, é que existe uma grande diferença entre a fome real e a imaginária, ou seja, o desejo de comer.

Já pararam para realizar uma avaliação desse aspecto em sua vida? A hora chegou e com um lápis e um caderno, vamos começar a treinar a percepção a cerca do que sente realmente.

Fome é um incomodo que sentimos, como se nossa barriga tivesse um grande buraco, que necessitamos preencher. A vontade de comer acaba se instalando devido à ansiedade frente a situações de sua vida, até mesmo frente a situações que não consegue prever.

Fome é uma sensação fisiológica que nosso corpo percebe quando precisa de alimento para manter as atividades inerentes a vida. Apetite é o desejo de comer um alimento. É de fundamental importância decifrar o que realmente queremos. Queremos comer por fome ou por desejo de comer?

Parece fácil, mas para muitas pessoas essas situações se confundem, e nessa situação, acabam ingerindo mais e mais comida, mesmo sem estar sentindo fome.

Então, vamos começar uma nova etapa nesse processo de perda de peso, anotando tudo o que ingere, e fazendo um link com aspectos de sua vida, cada vez que abusar da comida. Ao utilizar a anotação de sua ingesta alimentar, poderá identificar quais são os fatores disparadores para o seu desejo de comer. Aprenderá a olhar para si mesmo, e desenvolver estratégias para que nesses momentos onde a fome não está presente, podendo utilizar de outras opções para a resolução dos problemas pessoais e até mesmo a ansiedade.

A ansiedade é um dos grandes disparadores do desejo de comer, e na roda viva que é nossa vida, acabamos por descontar nossos anseios comendo. Ao utilizar a anotação, perceberá que acabou ingerindo mais comida nesses momentos, pois a tendência é comer, comer e não conseguir sentir saciedade.

No processo terapêutico o paciente tem a oportunidade de identificar o significado do abuso alimentar, podendo resolver algumas situações de forma mais efetiva, colocando cada necessidade no lugar adequado, e a comida podendo ocupar somente o seu papel de nutrição.

O comer por sentimentos impede que consiga alcançar seu objetivo de perder peso, pois não conseguimos nos manter dentro da prescrição nutricional, sabotando também a atividade física, pois aqui temos uma conta de adição e subtração, e vamos utilizar a que temos condição no momento.