Novidade! Baixe nosso app em seu smartphone Android iPhone

Dicas de Mulher Dicas de Comportamento

Na hora H, vale tudo?

Seja o que for que você e seu parceiro queiram experimentar, a regra geral é uma só: os dois precisam estar com vontade e os dois precisam respeitar-se mutuamente

em 21/06/2013

Foto: Thinkstock

Há quem diga que no amor e na guerra, tudo é permitido. De fato, entre quatro paredes, quem faz as regras são os parceiros, mas é preciso respeitar os limites do outro – e os seus também. Topar determinada situação apenas para agradar o parceiro, sem que você realmente sinta vontade, é injusto e pode ocasionar arrependimentos posteriores.

Sexo oral

O sexo oral é uma das práticas sexuais mais comuns, e pode ser encarado como uma preliminar do sexo propriamente dito. No entanto, muitas pessoas não se sentem à vontade ao praticá-lo – e isso precisa ser sumariamente respeitado.

Além disso, há quem goste de receber o sexo oral, mas não de fazê-lo; e o contrário também é possível. Se uma dessas situações acontece com você ou com seu parceiro, sente-se com ele e tenha uma conversa franca a respeito. Assim, vocês podem entender melhor os motivos um do outro e a relação ficará fortalecida.

Sexo anal

Muitas dúvidas e polêmicas cercam o sexo anal e, por isso, não é todo mundo que o tem como uma prática regular. Pesem os muitos anos de repressão sexual sofrida pelas mulheres, pode-se entender melhor os motivos de o sexo anal ainda ser, por vezes, um tabu.

Se você sentir vontade de experimentar, fale sobre o tema com o parceiro. A conversa ajuda a eliminar dúvidas e a se sentir mais segura, mas lembre-se: não faça nada que você não sinta realmente vontade de fazer.

Sadomasoquismo

O sadomasoquismo ganhou destaque com o livro “50 tons de cinza”, de E. L. James, e muitas mulheres têm se interessado pelo assunto, desde então. A prática envolve todo um pano de fundo fetichista e objetos como algemas e chicotes são utilizados.

Mais uma vez, tudo depende de você e da sua curiosidade ou vontade. Se achar que será uma experiência interessante, vá em frente – é totalmente válido investir em algo novo, quando você está realmente a fim. O cuidado necessário é para que vocês não acabem se machucando de verdade. No mais, sejam felizes.

Fantasias

Realizar fantasias sexuais, como transar no carro, no mar ou no elevador, só para citar alguns exemplos, pode ser uma boa maneira de não deixar que o sexo caia na rotina. Esse tipo de atitude faz com que o desejo esteja sempre se renovando e pode até melhorar a qualidade do relacionamento do casal.

Mas e as fantasias de vestir? Vale se fantasiar de alguma coisa para satisfazer um desejo do parceiro? Vale. Se vocês dois curtirem a ideia e se soltarem, não há nada que os impeça de tentar. O lance das fantasias, sejam elas roupas ou situações, é sacudir a poeira do relacionamento. Se você acha que o seu está precisando de algo assim, elas são uma maneira leve e eficiente de começar.

Regra geral

Seja o que for que você e seu parceiro queiram experimentar, a regra geral é uma só: os dois precisam estar com vontade e os dois precisam respeitar-se mutuamente. Fazer algo apenas porque quer agradá-lo é um risco porque você pode acabar se magoando ou ficando com raiva dele, caso o relacionamento não dê certo no futuro.

Se for encarar situações novas entre quatro paredes, certifique-se de que a atitude é voluntária e movida unicamente por uma vontade sua. E você, acha que vale tudo na cama?

Receba nossas melhores dicas diretamente em seu e-mail

Assine nossa newsletter para receber nossas novidades sobre os assuntos do momento.

Nós odiamos spam. Nunca usaremos seu e-mail para outros fins.

Comentários
Dicas relacionadas