Lombalgia: causas e tratamento

Qual a melhor forma de prevenir e tratar a dor na região lombar?

Por Carolina Werneck
lombalgia Lombalgia: causas e tratamento

Foto: Thinkstock

Lombalgia” é o nome dado a um tipo de dor que atinge a parte baixa das costas, na região da bacia, também conhecida como “região lombar” e que pode ter inúmeras causas. Normalmente começa como um pequeno incômodo na área, que vai sendo agravado com o tempo, ao mesmo tempo em que se desenvolve algum grau de contratura muscular.

A lombalgia não é considerada uma doença mas, antes, um sinal sintomático. A causa mais comum é a má postura nas atividades diárias que um indivíduo desenvolve. Atualmente as pessoas passam boa parte do dia sentadas em frente ao computador, normalmente em posições que prejudicam o alinhamento da coluna – e a dor surge como consequência dessa postura incorreta, como se o corpo estivesse “reclamando” pela repetição de um hábito que causa uma lesão.

Hérnias de disco, artrose, infecção e inflamação são algumas das causas médicas dessa dor, que também pode ser ocasionada devido a problemas emocionais. O agravamento dos sintomas é influenciado por fatores como o fumo, a obesidade, o sedentarismo e até o período de gravidez. Algumas vezes a dor pode se refletir – com ou sem dormência – na região das pernas mas, na maior parte das vezes, a lombalgia não chega a ser um problema sério de saúde.

As crises de dor podem começar e desaparecer em ciclos de alguns dias – neste caso a lombalgia é conhecida como lombalgia aguda, e tende a reaparecer quando os padrões posturais voltam a ser repetidos; outra forma do problema é a chamada lombalgia crônica, caso em que a dor é quase constante, sem apresentar melhora ou grandes variações de intensidade.

Diagnóstico

Por se tratar de um problema essencialmente físico, um bom exame clínico com um ortopedista normalmente é o suficiente para diagnosticar a lombalgia, tendo em conta as características dos sintomas. Exames como a ressonância magnética podem ser solicitados pelo médico para que este possa determinar o tamanho da lesão, bem como a região exata em que ela se encontra.

Tratamento

Quando falamos em dores a primeira ideia que nos ocorre é a de que exercícios físicos são ideais para ajudar a combatê-las. No entanto, quando se trata de lombalgia e de dores nas costas em geral, a prática de exercícios não é recomendada e deve mesmo ser evitada, ao menos durante a crise dolorosa, já que pode ocasionar uma intensificação da dor, chegando a causar um travamento ou redução dos movimentos da região.

Isso acontece porque o exercício físico coloca em atrito os ossos da coluna já prejudicados, podendo piorar a inflamação decorrente de hábitos posturais incorretos ou de problemas nas articulações.

Dessa forma, a recomendação para o tratamento da lombalgia é repouso absoluto. O paciente deve permanecer deitado, de preferência em colchões firmes, mas não completamente duros, sendo que a posição mais recomendada é a fetal. Podem ser usados analgésicos e anti-inflamatórios e qualquer tipo de providência que envolva movimentação na área afetada deve ser evitada na fase aguda da dor. Isso inclui massagens, alongamento e RPG. Passada a fase da dor, a prática de atividades físicas pode ajudar a prevenir novas crises, sendo mesmo recomendada pelos médicos.

Embora nem todos os casos de hérnia de disco exijam procedimento cirúrgico, caso a lombalgia seja causada por este tipo de problema os exames devem ser minuciosos e o tratamento seguido à risca sob orientação médica. Na maior parte das vezes, mesmo nesses casos, a dor regride com o repouso do paciente, porque este permite que a hérnia diminua de tamanho, deixando de comprimir os nervos. Se a dor não ceder em um período de três a seis semanas, entretanto, a cirurgia pode ser a melhor opção.

Prevenção

A melhor forma de prevenir a lombalgia é prezar por uma boa postura durante as atividades realizadas no dia a dia, manter hábitos de vida saudáveis, evitando o cigarro e o excesso de bebidas alcoólicas e adotar a prática do alongamento ao menos duas vezes ao dia.

Como todos os problemas de saúde, a lombalgia não deve ser negligenciada. Em qualquer um dos casos, o diagnóstico e o tratamento devem ser acompanhados por um ortopedista.