Hepatite B: a doença silenciosa

Veja informações importantes sobre o vírus que é cem vezes mais contagioso do que o HIV

Por Fernanda Boito
hepatite b Hepatite B: a doença silenciosa

Foto: Thinkstock

O vírus da hepatite B é mais comum e muito mais contagioso que o vírus HIV. Muitos brasileiros são portadores desse vírus, mas sequer desconfiam que convivem com ele. Na maioria das vezes, os portadores só o descobrem quando o fígado já está destruído, com diagnóstico de cirrose ou câncer do órgão. Saiba mais sobre essa doença que silenciosamente atinge cerca de 2 milhões de brasileiros.

Como a doença é transmitida?

A hepatite B é transmitida por um vírus por meio de relações sexuais, da mãe para o feto ou através do sangue. A doença atinge milhões de brasileiros, mas o grupo com maior incidência da doença é o das manicures e mulheres que fazem as unhas em salões de beleza.

As manicures trabalham com equipamentos que provocam ferimentos e que em sua maioria, não são devidamente esterilizados, por isso, estão mais propícias ao vírus por entrar em contato com sangue contaminado. Para evitar problemas, muitas clientes optam por levar seu próprio material ao salão de beleza. Mesmo assim, o contágio pode acontecer, se a manicure não lavar as mãos e não utilizar luvas.

O que acontece com o portador do vírus?

Na maioria das vezes, o vírus entra no corpo e é eliminado naturalmente, somente 5% dos portadores do vírus desenvolve a doença que é absolutamente assintomática. Por não apresentar sintomas, é comum que o portador conviva com o vírus sem saber, o que leva a hepatite B a ser descoberta tarde demais, quando a única opção de tratamento é o transplante de fígado.

Qual é o tratamento?

Como na maioria dos casos a hepatite B é descoberta quando o fígado do portador já está comprometido, a única saída é o transplante do órgão. O problema é que não há fígados disponíveis para todos os pacientes. Por outro lado, nos casos em que a doença é diagnosticada mais cedo, o tratamento, caro e demorado, é feito com um antiviral.

Como prevenir a Hepatite B?

A hepatite B pode ser evitada com a vacinação. Para alguns grupos, como médicos, enfermeiros, manicures, técnicos de laboratório, carcereiros e pacientes portadores de doenças crônicas com imunidade baixa; a vacina é gratuita, oferecida pelo SUS. Aqueles que não estiverem incluídos nesses grupos devem pagar pela vacina.

De qualquer forma, é necessário tomar três doses, o que pode ser um complicador, já que muitas pessoas tomam a primeira dose, esquecem das outras e por isso não estão imunizadas.

Apesar da hepatite B ser uma doença grave, ela não está em evidência. É muito mais comum vermos campanhas de prevenção da AIDS do que da hepatite B. Isso por que a AIDS envolve uma discussão moral, além de ser uma doença mais “interessante” para os meios de comunicação; o que é extremamente preocupante. São poucas as pessoas devidamente informadas sobre os riscos que essa doença pode trazer e isso pode causar danos terríveis à população. Talvez este seja o momento de mudarmos o foco.