Dicas de Mulher Dicas de Saúde

7 hábitos que podem diminuir em 40% a chance de ter câncer

Medidas simples como controlar o peso, se proteger do sol e evitar o cigarro e o álcool ajudam a evitar o desenvolvimento do câncer

em 17/03/2017

Foto: iStock

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, o Inca, 8,2 milhões de pessoas morrem de câncer todos os anos no mundo. No Brasil, a estimativa é de que ocorreram quase 600 mil novos casos em 2016.

Em entrevista ao El País, o doutor Josep Tabernero, diretor do Vall d’Hebron Instituto de Oncologia (VHIO), em Barcelona, na Espanha, sugere 10 medidas que poderiam reduzir 40% dos tumores.

A melhor parte: três dessas medidas (combate à poluição, incentivo aos programas de vacinação e investimento em programas de triagem) dependem de decisões políticas, mas as outras sete medidas podem ser feitas por qualquer pessoa – inclusive você.

Vale a pena conhecer e colocar em prática os 7 hábitos que podem evitar o surgimento de 40% dos tumores. Veja quais são:

1. Eliminar o tabaco

Foto: iStock

Segundo o Inca, o tabaco é responsável por 30% de diversos tipos de câncer, como de pulmão, boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga, colo de útero, estômago e fígado.

Além disso, quem está ao lado do fumante também é prejudicado pelo fumo passivo. Para você ter uma ideia, a fumaça que sai da ponta do cigarro chega a ter 50 vezes mais substâncias cancerígenas do que a fumaça que é inalada pelo fumante em si.

2. Limitar o consumo de álcool

Foto: iStock

O consumo de álcool está associado a um aumento nas chances de uma pessoa desenvolver pelo menos sete tipos de câncer – boca, garganta, laringe, esôfago, fígado, cólon, intestino e mama.

Embora a doença surja com mais frequência em pessoas que apresentam um consumo exagerado, os tumores podem aparecer também naqueles que bebem “socialmente”, de forma que não existem limites seguros para o consumo de bebidas alcoólicas.

3. Combater a obesidade

Foto: iStock

Um estudo publicado pela Associação Médica Britânica mostrou que a metade dos casos de câncer útero e de um tipo de câncer de esôfago é causada pela obesidade.

Essa condição é tão perigosa que só perde para o tabaco no ranking dos fatores evitáveis que mais colaboram para o surgimento de um tumor maligno. Além disso, a mortalidade de pacientes com câncer é maior entre aqueles que são obesos.

4. Ter uma dieta pobre em gordura e carnes vermelhas

Foto: iStock

De acordo com um estudo da Universidade de Harvard, uma pessoa que ingere um bife de 140 gramas por dia tem 10% de chances de morrer de câncer. Esse percentual se eleva para 16% caso se trate de carne processada, como hambúrguer, salsicha ou bacon.

Você não precisa eliminar as carnes vermelhas da sua vida, mas recomenda-se dar preferência a carnes brancas e magras e limitar o consumo de carne vermelha a no máximo 70 gramas (meio bife) por dia.

5. Manter uma alimentação rica em fibras

Foto: iStock

Você já sabe que as fibras são importantíssimas para o bom funcionamento intestinal. O que você talvez ainda não saiba é que elas também colaboram para a prevenção do câncer.

Uma alimentação rica em fibras diminui o tempo que o alimento fica no intestino, diminuindo também o contato das substâncias cancerígenas com a mucosa intestinal.

Por dia, recomenda-se que um adulto consuma cerca de 25 gramas de fibras, o que corresponde a pelo menos cinco porções de frutas e vegetais sem amido, como verduras, cenoura, tomate, beterraba etc., e três porções de cereais integrais, como arroz integral ou farinha de aveia.

A porção de frutas e vegetais pode ser medida pela quantidade que caiba na palma da mão, enquanto a porção de cereais corresponde a meia xícara.

6. Praticar exercícios físicos

Foto: iStock

Praticar pelo menos 30 minutos de atividades físicas por dia reduz a possibilidade do desenvolvimento de um câncer.

Isso acontece porque os exercícios colaboram para o equilíbrio dos níveis dos hormônios, diminuem o tempo do trânsito intestinal (assim como as fibras), ajudam a manter o peso em uma faixa saudável e aumentam as defesas do organismo, protegendo-o contra o câncer.

7. Proteger-se da exposição ao sol

Foto: iStock

A exposição ao sol, principalmente aos raios ultravioletas, é o principal fator causador de câncer de pele dos tipos melanoma (mais raro e muito agressivo) e não melanoma (mais frequente e menos agressivo).

A influência dos raios ultravioletas no desenvolvimento do câncer de pele é ainda maior em pessoas com histórico familiar da doença e pele e cabelos claros.

Você já conhece os meios de se proteger da exposição ao sol, mas não custa relembrar: evite se expor ao sol entre as 10h e as 16h, aplique filtro soltar com FPS no mínimo 15 e use chapéu, óculos escuros e outras barreiras físicas contra a luz solar.

De acordo com o pesquisador Tabernero, se essas medidas fossem colocadas em prática o câncer deixaria de ser a primeira causa de morte no mundo, e esta posição voltaria a ser das doenças cardiovasculares. Vale a pena investir nessas mudanças, não é mesmo?

Comentários
Dicas relacionadas