Novidade! Baixe nosso app em seu smartphone Android iPhone

Dicas de Mulher Dicas de Beleza

Fotodepilação: tire suas dúvidas sobre o método que conquistou mulheres e homens

O resultado é duradouro e o processo, praticamente indolor. Confira outras informações interessantes sobre o método

em 25/02/2015

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

A fotodepilação já conquistou muitas mulheres e, também, alguns homens. Com resultado duradouro, ela tem ganhado cada vez mais espaço nos mais modernos institutos de depilação.

Apesar dessa popularização, o método ainda gera algumas dúvidas. Muitas pessoas não sabem, por exemplo, quais são as diferenças entre fotodepilação e depilação a laser. Outras, têm certo receio quanto ao procedimento por acharem que as sessões devam ser doloridas. Há dúvidas ainda em relação ao tempo que os resultados demoram a aparecer, entre outras.

O que é a fotodepilação?

Janete Cozer, franqueada máster da rede Não+Pêlo no Rio de Janeiro, explica que a fotodepilação é um procedimento de depilação através da luz pulsada intensa (IPL). “O método é indolor, não invasivo e muito eficaz quando falamos de eliminação duradoura de pelos indesejáveis”, diz.

Algumas pessoas acreditam que as sessões de fotodepilação são dolorosas, mas isso não passa de um mito, conforme explica a fisioterapeuta dermatofuncional Danielle Caetano, da Nâo+Pêlo. “Os equipamentos de IPL têm configurações de luz e intensidade variadas e, por ter a ponta do aparelho congelada, o incômodo da luz pulsada é diminuído”, diz.

Na maioria dos casos, os resultados da fotodepilação são percebidos desde a primeira sessão. Mas, conforme ressalta Danielle, isso depende de cada pessoa. “A técnica IPL pode fazer com que a diminuição do crescimento seja notada desde a primeira sessão. Isso depende da quantidade de pelos de cada pessoa”, explica.

Principais dúvidas sobre a fotodepilação

Abaixo você confere o esclarecimento para as principais questões em torno do assunto:

1. Não se pode retirar os pelos entre sessões de fotodepilação?

Danielle explica que, com cera (quente ou fria), não. “Mas é indicado que o pelo seja removido com lâmina de barbear, creme depilatório, ou qualquer método que apare, como uma máquina”, diz.

“Porém, no dia da depilação o pelo não pode estar muito grande, porque senão não vai ser retirado pelo aparelho”, ressalta a fisioterapeuta dermatofuncional.

2. A fotodepilação é um tratamento permanente?

Não. “Apesar de ser um tratamento mais duradouro e fazer com que cresçam cada vez mais fracos, o método não promete o fim dos pelos. Nenhum tratamento acaba de vez com todos os pelos”, destaca Danielle.

3. IPL (luz pulsada intensa) funciona somente em pessoas com pele clara e cabelo escuro?

Danielle explica que o método funciona retirando o bulbo do pelo estimulado pela melanina. “Por conta disso, pelos com pouca melanina são mais difíceis de serem arrancados, mas isso não é impossível. Para quem tem a pele escura, existem até 6 fototipos que essa forma de depilação atinge”, destaca.

Fotodepilação X depilação a laser

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Mas, afinal, quais são as diferenças entre a fotodepilação e depilação a laser?

Janete explica que ambas se baseiam na luz para a destruição do pelo, além de serem métodos duradouros, o que é uma vantagem em relação ao procedimento com cera.

“A tecnologia ILP (Luz Pulsada Intensa) ainda trata a pele, estimulando a camada de colágeno e melhorando o quadro de foliculite”, acrescenta Janete.

As principais diferenças entre os procedimentos, de acordo com a profissional, são: a área de contato da luz com a pele e o comprimento das ondas. “A IPL (Luz Pulsada Intensa) abrange uma área maior, fazendo com que a aplicação seja mais rápida. Além disso, ao contrário do laser, que possui apenas um comprimento de onda, ela emite uma luz mista com vários comprimentos de onda, que podem ir de 590 a 1.200 nanômetros, permitindo personalizar o tratamento de acordo com as características de cada cliente”, diz.

Ainda de acordo com Janete, uma das principais vantagens da fotodepilação por luz pulsada é o fato de ela ser um tratamento indolor, porque usa um sistema de refrigeração integrado “subzero intenso”, que minimiza a sensação de calor na área a ser tratada.

O custo de uma sessão de fotodepilação também é mais baixo se comparado à depilação a laser.

Porém, em comparação com a fotodepilação, a depilação a laser costuma apresentar melhor resultado com um número menor de sessões.

Ambos os métodos são indicados para casos de foliculite e para pessoas que sofrem com pelos indesejados em qualquer região do corpo.

Quantas sessões são necessárias?

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Quantas sessões de fotodepilação são necessárias (em média) para garantir bons resultados? Esta é uma dúvida comum entre a maioria das pessoas que estão pensando em aderir ao método.

Janete destaca, porém, que não é possível definir antecipadamente o número de sessões necessárias. “Isso porque vários fatores influenciam na resposta, como características da pele e fatores hormonais”, diz.

A profissional destaca que a fotodepilação pode ser tratada em quase todas as áreas do corpo, exceto mucosas, saco escrotal, ou aquelas onde o disparador possa alcançar diretamente os olhos, sobrancelhas e nariz. “No caso da aréola mamaria, o procedimento pode ser feito ao redor da área”, acrescenta.

O custo da sessão gira em torno de R$60 a R$70, mas varia muito de acordo com o local e a cidade onde será realizado o tratamento. Pode haver variação de preço também de acordo com a área do corpo que será tratada.

“A rede Não+Pêlo trabalha com o preço único por área/sessão. O valor é R$69,00”, acrescenta Janete.

Confira como é feita a fotodepilação

Nos vídeos abaixo você pode conferir como é feita a fotodepilação:

Depoimentos de quem já fez

Cristina Ramalho, 32 anos, manicure, conta que já fez algumas sessões de fotodepilação nas axilas. “Gostei bastante dos resultados. Meus pelos encravavam muito nesta região e, com a fotodepilação, isso melhorou bem. Claro que ainda crescem pelos, mas em menor quantidade e eles já não encravam mais”, diz.

Sabrina Lima, 28 anos, professora, também relata que aprovou os resultados da fotodepilação. “Fiz cerca de 8 sessões na virilha e já tive melhora. Quanto à dor, não senti praticamente nada, é bem tranquilo. Vale a pena, pois a quantidade de pelo diminuiu bem”, comenta.

Fotodepilação caseira: é segura?

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Atualmente, no mercado já estão disponíveis equipamentos de fotodepilação para uso domiciliar. “Porém, eles possuem potência menor do que os equipamentos utilizados em centros de fotodepilação”, destaca Janete.

Além disso, acrescenta a profissional, os riscos são maiores de realizar o procedimento em casa, pois não há um profissional habilitado operando o equipamento.

Os principais riscos, de acordo com Janete, consistem em queimaduras e manchas claras na pele, sensação de secura, hiperpigmentação e formação de crostas ou dano ocular, caso os óculos de proteção não sejam usados de forma adequada.

Agora você provavelmente esclareceu suas principais dúvidas sobre a fotodepilação. Caso decida apostar no método, procure um instituto de depilação na sua cidade e faça uma avaliação.

Receba nossas melhores dicas diretamente em seu e-mail

Assine nossa newsletter para receber nossas novidades sobre os assuntos do momento.

Nós odiamos spam. Nunca usaremos seu e-mail para outros fins.

Comentários
Dicas relacionadas