Como os pais devem orientar os filhos sobre drogas

Confiança, diálogo e compreensão devem fazer parte do relacionamento entre pais e filhos

Por Ana Carolina Gabriel
como os pais devem orientar os filhos sobre drogas Como os pais devem orientar os filhos sobre drogas

Foto: Thinkstock

Considerada fase de conflitos e adaptações, a adolescência é o período de questionamentos, busca por novas experiências e o interesse cada vez mais intenso pela independência. Por isso, é comum aumentar a preocupação dos pais, afinal, saber conversar e esclarecer todas as dúvidas do filho pode não ser tão prazeroso.

“Muitos pais não estabelecem diálogo com os filhos desde pequenos e isso acaba prejudicando toda a relação posteriormente. Na hora de conversar sobre sexo ou drogas, por exemplo, uma barreira é erguida entre eles”, comenta a pedagoga Arlete Codo.

Por isso, dialogar é essencial. Através da conversa, se estabelece maior aproximação entre pais e filhos, o que aumenta a segurança, compreensão e ligação entre eles. “Nada melhor do que esclarecer as dúvidas. Se o seu filho não esclarecer com você, poderá perguntar para outras pessoas que indicarão (possivelmente) os caminhos errados”, diz Arlete.

Dê atenção!

Para Arlete, “o carinho e a atenção com os pequenos são essenciais para a prevenção das drogas”. Isso porque o seu filho saberá que pode contar sempre com você, se sentindo confortável em todas as situações.

Saiba ouvir

Tenha cuidado ao falar e dê liberdade para que seu filho também faça perguntas e comente sobre o assunto. “É importante deixar que eles exponham a opinião. Não adianta em nada os pais falarem e a criança só ouvir. Tem que haver troca de comentários sempre”, sugere a pedagoga.

Amigos

Saber com quem os seus filhos andam é fundamental. “Veja quais são as amizades que seus filhos fizeram na escola. Converse também com o professor, afinal, ele melhor do que ninguém, conhecerá um pouco do comportamento de todas as crianças da sala”, diz Arlete.

Vá direto ao ponto

Seja sincero e mostre a realidade sobre o assunto. “Os pais devem usar uma linguagem que a criança entenda e não devem omitir nenhuma situação. Os pequenos devem saber sobre todos os prejuízos que o consumo de droga pode trazer à pessoa”, comenta a pedagoga.

Fique atento!

Segundo levantamento feito pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas, a utilização da maconha quadruplicou em dez anos. “Os pais precisam analisar o comportamento do filho. É normal, durante a adolescência, eles se isolarem. Mas caso você perceba que esse isolamento está além do normal, procurar orientações de um psicólogo é essencial”, orienta a pedagoga.

Vale lembrar que é necessário os pais construirem laços de amizade entre seus filhos. Respeite o espaço deles, mas deixe-os saber que há limites e regras. “Se você perceber que seu filho chegou em casa bêbado, por exemplo, essa situação deve ser remediada o quanto antes! Imponha limites e mostre que a responsabilidade é o melhor caminho para uma vida saudável”, finaliza Arlete.