Como educar sem bater

Entenda porque a agressão não funciona para educar seus filhos e conheça maneiras diferentes de educá-los sem precisar de palmadas

Por Andressa Dias
Atualizado em 08/05/2012 10:40

como educar sem bater Como educar sem baterHá muitos anos que se acredita que utilizar algumas palmadas para ensinar aos filhos o que eles não devem fazer é a melhor maneira de educar. Porém, este método além de ser violento é muito negativista, pois exalta o que foi feito de errado, chamando ainda mas atenção para aquele tipo de atitude.

Motivos para não recorrer à agressão

As crianças quando apanham, levando palmadas ou castigos ainda mais violentos, não tem maturidade e discernimento suficiente para relacionar o castigo à sua causa. Desta forma a criança acaba sendo traumatizada por estar sofrendo por um motivo desconhecido.

Além de não funcionar como método de educar, a violência gera ainda mais violência. Se seu filho apanha em casa, pode ser que ele queira bater nos colegas de classe na escola ou que seja violento com eles de outras maneiras. A criança que apanha vê que os pais conseguem o que querem por meio de violência e isso pode se tornar algo natural para a criança. O filho pensará que quando quiser algo, é só usar força que conseguirá.

Outro fator que deve ser levado em consideração na educação de seu filho é que agressão verbal também é violência. Se você gritar com ele, ele vai querer gritar ainda mais alto, o que não resolverá o problema. Usar palavrões ou ser cruel com as palavras, por exemplo, dizendo que seu filho “não sabe fazer nada direito” pode acarretar em sérias consequências psicológicas negativas.

Ainda, a criança quando é educada por meio de agressões, aprende a ser controlado apenas com o uso da força. Sendo assim, é possível que no futuro as consequências sejam ainda piores, como crianças que se tornam adultos fora da lei. É triste também saber que estas crianças que não aprendem a respeitar os limites somente pelo fato deles existirem, vão aprender a respeitá-los sofrendo retaliações e castigos durante a vida adulta.

Mesmo que você tenha levado palmadas quando era criança e acredite que isso não tenha te prejudicado, não prive seu filho de receber uma educação mais evoluída e menos agressiva. Assim como você provavelmente não gostaria que ele recebesse palmatórias na escola, considere meios alternativos e mais atuais de educação que não envolvam castigos físicos.

Como educar sem bater

A melhor maneira de ensinar ao seu filho o que ele pode e não pode fazer é por meio de diálogo e mantendo-se firme e disciplinada no que diz. As punições como deixar a criança sem o brinquedo preferido por uma semana ajudam a conter aquele comportamento temporariamente, mas não tem muito efeito para o futuro.

A criança precisa aprender sem punições que existem regras que devem ser respeitadas. Por mais cruel que possa parecer em alguns momentos, as regras de casa devem ser respeitadas também pelos pais e assim os filhos sofrerão menos no futuro, quando as regras forem impostas por outras pessoas e pelo governo, por exemplo, pois estes provavelmente não terão “dó” do seu filho.

Muitas vezes, as crianças repetem incessantemente determinado comportamento e os pais tem que falar diversas vezes a mesma coisa: “Isso que você fez não é legal”. Porém, isso acontece porque no mundo infantil não existe ainda muita lógica e eles não conseguem discernir causa e consequência. Por isso é importante ser consistente e paciente, repetindo quantas vezes for necessário o diálogo para educar.

É importante que os pais tenham consciência de que desafiar regras faz parte do crescimento da criança e que não devem se deixar levar por isso ficando exaltados. Devem se manter firmes e conversar com a criança.

Com os pequeninos, entre 1 e 4 anos, o ideal é dizer que aquilo não deve ser feito e sempre elogiar o comportamento adequado. Com as crianças entre 5 e e 6 anos é recomendado deixá-los sem um brinquedo que gostam por um tempo. Já os maiores, entre 7 e 9 anos podem ser colocados para refletir sozinhos sobre a atitude que tiveram. Sugere-se 1 minuto para cada ano de vida, por exemplo, 6 minutos para uma criança de 6 anos.

Uma sugestão para ensinar os filhos desde cedo a entender e respeitar regras é criar um mural de combinados, com regras que eles propõem e os pais também. Crie algumas regras para vocês mesmos para mostrar que as obedecem e encorajarem os filhos. Você pode também premiar de forma simples os comportamentos corretos, como colocar uma estrelinha ao lado do nome da criança a cada comportamento louvável que ela tiver. Prefira sempre exaltar as atitudes positivas em vez das negativas.

Lembre-se que quando eles são pequenos, é fácil bater e castigar os filhos de forma agressiva. Mas isso pode se voltar contra vocês quando eles forem grandes, e pior ainda, esta criança pode ter que ser disciplinada pela sociedade quando adulta. Por isso, sempre pense bem antes de usar a força. Use o diálogo e seja próxima do seu filho ou filha, permitindo que ele possa sempre contar com você como alguém que o ama e protege e não um inimigo que o agride.