Dicas de Mulher Dicas de Comportamento

Como controlar o ciúme?

Entenda o que é o ciúme e como controlá-lo

em 01/08/2012

Quem já não teve ciúmes que atire a primeira pedra. Pois bem, todos nos já tivemos e teremos ciúmes. O sentimento (amor, ódio, tristeza, ciúmes e etc.) faz parte da condição humana e por isso é extremamente natural. O ciúmes de uma forma controlada pode ser positiva, pois sugere cuidado com as pessoas que amamos (namorado, família, amigos, etc).

No entanto, quando esse cuidado é excessivo e existe o sentimento de posse, o ciúmes se torna incontrolável. Nossas primeiras experiências com o ciúmes se dão na relação primária entre a mãe e o bebé. O bebê é totalmente dependente da mãe (como se os dois fossem um só) e para assegurar a presença constante do objeto de seu amor, origina uma verdadeira ansiedade de abandono (medo de perder). Portanto, a pessoa ciumenta não consegue aceitar a posição individual do outro e qualquer relacionamento externo ao casal representa uma ameaça.

“Espionar” o celular, email, Orkut, procurar “vestígios” nas roupas, saber onde está e com quem está, são apenas alguns exemplos do que a pessoa ciumenta é capaz de fazer. Ela sofre constantemente o medo de perder ou ser “passada para trás”.

Temos que deixar claro que a mulher ciumenta não é assim porque quer, o ciúmes é um sinal de que algo não está bem e ao contrário do que muitos pensam não é uma doença, nem tão pouco, excesso de amor. Não é raro encontrar uma mulher que não goste do “famoso” futebol com os amigos ou que desconfia quando o companheiro quer estudar, isto é, não permitir o lazer, a atividade física e o aprimoramento profissional não é amor e pode sugerir uma “pitadinha” de egoísmo (medo de perder). Assim, não adianta tentar controlar o ciúmes se não descobrirmos sua causa (o que justifica muitas mulheres prometerem “não mais ser assim” e não conseguirem cumprir).

A falta de auto-estima e experiências reais de abandono e traição são as causas mais comuns. Em relação a auto-estima, é uma questão delicada, pois partimos do princípio que ela é construída através dos anos, desde que nascemos, através de relações positivas e negativas. Quando a mulher teve mais experiências negativas do que positivas, ela pode ter dificuldades de se amar fazendo com que qualquer outra mulher seja melhor do que ela. Somente o aumento da auto-estima fará com que ela conheça seu valor e aceite que pode ser amada e ter um relacionamento saudável. A mulher que já foi traída e teme que isso aconteça novamente (no mesmo ou em um novo relacionamento) também deve estar atenta à auto-estima e praticar o diálogo com seu companheiro (o que é sempre a melhor solução).

Portanto, quando o ciúmes bater a nossa porta, precisamos primeiro analisar quais seus motivos e qual o nível de dependência que temos em relação ao nosso objeto de amor, pois quanto maior o nível de dependência, maior será o medo da perda e conseqüentemente maior será o ciúmes. Muitas vezes atribuímos valores maiores do que deveríamos para pessoas e relacionamentos, por isso não é raro ouvirmos frases tais como: “você é minha vida”, “você é minha felicidade” ou “não saberia viver sem você”. Essa dependência, que lembra muito a relação que tínhamos com a nossa mãe enquanto bebê, surge da falta de equilíbrio entre uma relação amorosa saudável, amigos, profissão, família e etc.

Lembre-se primeiro é preciso se amar e ser feliz independente de outras pessoas, o que vier a partir de então serão felizes encontros sem posse, sem medo e sem ciúmes, com muito mais leveza e felicidade.

Andreia Mattiuci

é colunista do Dicas de Mulher e especialista em Coaching

Receba nossas melhores dicas diretamente em seu e-mail

Assine nossa newsletter para receber nossas novidades sobre os assuntos do momento.

Nós odiamos spam. Nunca usaremos seu e-mail para outros fins.

Comentários
Dicas relacionadas