Calçados masculinos em pés femininos

A delicadeza dos pés femininos aliada ao peso dos calçados masculinos resulta em um mix harmônico

Por Milene Sousa
calcados masculinos em pes femininos Calçados masculinos em pés femininos

Foto: Reprodução

Desde as semanas de moda internacionais de inverno 2011 uma tendência se fixou no vestuário feminino, sobretudo nos calçados, a boy meets girl. A tendência não se trata de peças unissex, mas sugere o encontro de gêneros em um modelo de sapato, que se encaixa tanto na seção masculina quanto feminina; ou seja, podem ser produzidos em ambos os segmentos. Em sua maioria modelos clássicos masculinos que quando mesclados ao vestuário feminino rompem com o aspecto casual do calçado deixando o look ainda mais despretensioso.

O oxford foi o primeiro índice da tendência no setor calçadista e o que teve maior adesão do público feminino no Brasil; mas há outros modelos de sucesso que também permanecem tendenciosos na estação.

Oxford

De origem inglesa, e como o nome prediz, popularizado na Universidade de Oxford em 1640. O modelo precedeu o mix de estilos social e casual no segmento feminino, principalmente por dar equilíbrio na produção (sem deixá-la excessivamente formal) devido sua versatilidade de combinações. O oxford é uma aposta bem sucedida mesmo no verão quando apresenta uma modelagem revisitada, com salto, recortes, materiais mais leves e cores mais alegres.

Mocassim

Com costura e franjas peculiares, que evidenciam sua origem indígena norte americana, o mocassim foi introduzido aos poucos. Produzido inicialmente com aspecto rústico, com couro e cascas de arvore, ganhou feitio mais social com o passar dos anos, principalmente no auge do uso na década de 90, quando a moda propunha uma junção estética dos segmentos masculino e feminino.

Atualmente (como a maioria dos modelos da tendência), os mocassins são mais utilizados com looks informais, o que proporciona maior possibilidade de uso como shortinhos, jeans, vestidos; sempre coordenando à uma peça social para que o visual não fique tão desconexo.

Brogue

Facilmente confundido com o oxford – afinal muitas marcas se apropriam do estilo de ambos. O brogue é de origem escocesa, possui bico arredondado, solado rústico e os característicos furinhos contornando o recorte em W (o windtip) ao longo do calçado. Teve ascensão após o lançamento da coleção Primavera Verão 2011 da Prada com o modelo em solado plataforma de camadas, nominada Brogue Platform.

No uso, dê preferência para o modelo com a barra da calça dobrada, ou com meia-calça, lembrando que quem estabelece a cor da meia é o sapato.

Dockside

De berço norte americano, também conhecido como top-siders, o dockside caracteriza-se por um calçado de couro de solado fino emborrachado e tira de couro que dá efeito de costura nas aberturas de ilhós. Popularizou-se na década de 80 e é livremente associado à tendência náutica (navy). É mais utilizado em looks veraneios com peças mais despojadas e que ressaltem a principal característica do modelo, o conforto.

Slipper

Assim como o oxford, é um dos modelos mais antigos adaptados na tendência boy meets girl. De origem aristocrata inglesa (no século XV) era utilizado como chinelo, pelo conforto que proporcionava, sobretudo porque era constituído de veludo e adornado de joias.

Hoje os slippers são confeccionados por uma variabilidade de modelos, inclusive em melflex (plástico termomoldável), como na marca Melissa; além do uso de estampas, em especial a de onça, a mais disseminada no modelo. Em uso, substitui a sapatilha pelo conforto e pelas inúmeras combinações, não havendo restrições.

Creeper

O creeper, calçado com solado de crepe, teve intervalos maiores de um auge à outro. A começar com seu surgimento nos pés dos soldados americanos que retornaram após a segunda guerra mundial, ainda chamado de brothel creeper. Popularizou-se no final da década de 50 com os Teddy boys, que o aliavam à alfaiataria; ressurgindo vinte anos depois, com o Malcolm McLaren do Sex Pistols, que vendia o modelo em sua loja (a SEX) com a mulher Vivienne Westwood, o que deu ao modelo referência ao estilo punk.

Em 2011, o calçado ganhou o street style, principalmente agregado ao rock, coordenado à looks com linguagem ousada, de atitude. Uma boa forma de aderir ao modelo é coordená-lo com roupas de modelagem mais sequinha, shortinhos, vestidos, para que se estabeleça um equilíbrio com o peso do calçado.

Veja algumas possibilidades de uso dos calçados e se inspire