As consequências da insônia

Saiba o que acontece com o seu corpo quando você dorme menos do que precisa

Por Deborah Busko
Atualizado em 03/04/2013 15:01

consequencias insonia As consequências da insônia

Dormir é uma necessidade fisiológica de todo ser humano, além de ser um momento fundamental para descansar o corpo e a mente. No entanto, quem sofre com a insônia sabe muito bem como é passar noites em claro à espera do sono que demora a chegar ou simplesmente não aparece.

Na maioria dos casos, a insônia pode estar relacionada à ansiedade, depressão, estresse ou alterações hormonais, comuns no organismo feminino. Quem não dorme bem precisa lidar com o cansaço, que muitas vezes é denunciado pelas terríveis olheiras.

Mas as consequências de uma noite mal dormida vão além da sonolência no dia seguinte. Dormir é fundamental para repor as energias. Uma única noite sem dormir bem já pode trazer prejuízos a processos vitais do corpo e quanto maior a carência de sono, mais intensos serão os efeitos da insônia.

Quando você dorme menos do que precisa, a atividade cerebral diminui e funções como atenção, criatividade, equilíbrio e memória ficam comprometidas. Sem contar o humor, que fica péssimo.

A falta de sono gera um efeito de estresse que faz com que o corpo aumente a produção de cortisol e adrenalina, que são os hormônios da tensão. Essas substâncias diminuem a ação do sistema imunológico, abrem caminho para complicações cardíacas e digestivas. Dormir menos que o necessário também interfere na eliminação dos radicais livres, que são responsáveis pelo envelhecimento precoce e pela formação de vários tumores.

Se a insônia ocorrer por até uma semana ou num período de preocupação e estresse, é considerada insônia passageira. Mas quando o problema persiste por mais de três semanas, trata-se de insônia aguda. Nestes casos, é indispensável se submeter a uma avaliação profissional para descobrir o que está causando a dificuldade para dormir e iniciar o tratamento adequado.