Aprenda a diferenciar os tipos de manchas na pele

Veja as diferenças entre os tipos de mancha na pele e saiba o que você deve fazer em cada caso

Atualizado em 10/12/2013 19:08
aprenda a diferenciar os tipos de manchas na pele Aprenda a diferenciar os tipos de manchas na pele

Foto: Thinkstock

Ganhar uma manchas na pele é algo bem comum. São vários os motivos que as provocam: sol sem proteção, a chegada da idade, etc. E elas podem ser de inúmeros tipos: marrons, amareladas, brancas, com ou sem relevo. Qualquer mancha diferente das que você já tenha é motivo mais do que suficiente para agendar consulta com seu dermatologista. Pra preveni-las, é preciso conhecer os principais tipos de mancha. Vamos lá?

Manchas senis

Elas puxam para o marrom e são mais arredondadas, podem aparecer em vários tamanhos. Pessoas mais idosas que não cuidaram tanto da pele possuem muitas dessas manchas nas mãos, nos braços e no pescoço. Esse tipo de mancha surge a partir dos 40 anos (principalmente se você não se cuida ao sol, que tem efeito cumulativo) e são bem mais visíveis em quem tem a pele mais clara.

Tem tratamento? Sim! Quando estão em estágio mais avançado, os tratamentos com lasers são mais eficientes. Quando estão apenas no começo, Luz Intensa Pulsada e peelings mais abrasivos podem dar conta do recado.

Melasmas

Essa é a mancha que aparece sempre depois das suas férias de verão, quando você abusou do sol na praia ou na piscina e ganhou as famosas parecidas com sardas. Elas têm uma coloração puxada para o castanho e tamanhos variados. Problemas hormonais e predisposição genética são outros fatores que a causam.

Tem tratamento? Tem sim, precisa ser contínuo, pois não há cura. O tratamento clareia, mas a mancha continua lá e reacende em qualquer exposição solar. A aplicação de laser deve ser feita anualmente. O ideal é usar filtro solar antes de sair de casa, todo dia, inclusive no inverno.

Sardas (melanose solar)

Uma das causas principais é a predisposição genética em quem tem a pele clarinha (por exemplo, os ruivos e loiros naturais), mas na maioria dos casos (principalmente no Brasil, onde o sol é forte) ela surge por efeito cumulativo da radiação solar, com mais frequência na face, nos ombro e no colo.

Tem tratamento? O uso de filtro solar com FPS alto (de 30 pra cima) impede que elas piorem. Para removê-las, seu médico pode lhe indicar aplicações de Luz Intensa Pulsada.

Leucodermia solar

Também são conhecidas como sardas brancas e atingem braços e pernas, principalmente. A causa é o excesso de exposição solar ao longo de muitos anos.

Tem tratamento? É feito com o laser Fraxel, mas o melhor é prevenir, também com o uso de filtro solar.

Manchas na gravidez

É comum com a “bagunça” hormonal muitas gestantes apresentarem manchas maiores, de tom marrom durante os nove meses. Isso acontece por conta da dupla exposição ao sol sem proteção + alteração dos hormônios.

Tem tratamento? Tem, sim. Porém, a maioria deles (com cremes e lasers) só começa depois da amamentação. Até existem alguns cremes que podem ser usados antes, mas eles devem ser prescritos em conjunto, pelo seu dermato e pelo seu obstetra. Hidratar bem a pele e usar muito filtro solar são duas formas de se prevenir dessas manchas, ok?

Fitofotodermatite

Trata-se daquelas manchas marrons com fundo avermelhado que surgem na pele após contato com frutas mais cítricas, como limão e laranja e também figo e caju, associadas à exposição ao sol. Em casos mais severos, podem até surgir bolha, numa espécie de queimadura. Elas são comuns de acontecer em churrascos na piscina, por exemplo. Muita gente faz caipirinha e sai ao sol, se esquecendo do perigo que corre.

Tem tratamento? O seu dermatologista vai lhe receitar uma pomada antialérgica prescrita e as manchas tendem a regredir em até oito semanas sem deixar cicatrizes. Mas o ideal é prestar atenção sempre que mexer com as frutas acima e lavar bem as mãos ao sair no sol, combinado?

Dermatite de contato

Por causa de alergia a algum produto ou alimento, surgem manchas marrons na pele, sem um formato padrão. Podem ser grandes ou pequenas.

Tem tratamento? A primeira coisa a fazer é descobrir o que anda lhe causando alergia e interromper o uso (ou consumo). As manchas tendem a sumir naturalmente, mas seu médico pode lhe indicar um creme ou gel pra acelerar o processo.

Previna todo dia!

Se você fizer virar rotina o uso de protetor solar no rosto e nas outras áreas expostas ao sol já estará prevenindo vários tipos de mancha, isso porque os raios solares têm efeito cumulativo e, mesmo que na hora não aconteça nada, em alguns anos as manchinhas podem surgir. Converse com sua dermatologista para saber qual filtro solar é ideal ao seu tipo de pele e use um próprio para o rosto e outro para o corpo.

Usar creme hidratante após o banho e beber muita água deixam a pele hidratada e mais protegida também. Uma pele bem cuidada é mais difícil de ser agredida. E lembre-se: mesmo sem mancha, o ideal é marcar com seu médico duas vezes ao ano, pelo menos. É importante que ele avalie sua pele.