Novidade! Baixe nosso app em seu smartphone Android iPhone

Dicas de Mulher Dicas de Saúde

7 tipos de alimentos e bebidas que provocam o aumento da barriga

Bebidas alcoólicas, refrigerantes, leite e seus derivados fazem parte da lista

em 09/09/2014

Foto: Thinkstock

O acúmulo de gordura na região abdominal é algo muito indesejável, não somente por uma questão estética, mas também por uma preocupação maior com a saúde. Sendo assim, é muito importante que a pessoa cuide-se neste sentido, evitando alimentos e hábitos que só acrescentarão resultados negativos à sua vida.

São muitos os fatores associados ao ganho de gordura abdominal, como a genética, alterações hormonais, sono, sedentarismo, estilo de vida, postura e, com certeza, alimentação. Daniela Mendes Tobaja, nutricionista, pós-graduada em Fisiologia do Exercício pela Unifesp e pós-graduanda em Nutrição Clínica Funcional pela UNICSUL-VP, destaca que é importante entender que a estética é resultado de corpo saudável, por isso, além de evitar os alimentos que contribuem para o ganho de gordura, é necessário ter hábitos saudáveis que irão minimizar os efeitos negativos deles.

Abaixo a profissional cita alguns alimentos e bebidas (e, consequentemente, hábitos) que contribuem para o aumento da barriga, ou seja, um acúmulo maior de gordura na região abdominal:

1. Bebida alcoólica

“Além de seu efeito intoxicante, que pode desequilibrar a parte hormonal e glicemia, o álcool também é catabólico, acarretando em perda de massa muscular e, consequentemente, queda do metabolismo e ganho de gordura”, explica a nutricionista.

Ainda de acordo com a profissional, o álcool também desfavorece a saúde intestinal, que é o ponto de partida para equilíbrio e saúde. Desta forma você tem ótimos motivos para evitá-la!

2. Refrigerante

“Por conter muitos conservantes, corantes e/ou adoçante, o refrigerante exerce efeito intoxicante e alteração da microbiota intestique, que novamente pode desequilibrar os hormônios, além da grande quantidade de açúcar, que será estocada na forma de gordura”, diz Daniela Tobaja.

“O ph ácido destes produtos também desequilibra todo o trato gastro intestinal, além aumentar a excreção de cálcio, importante para regulação do hormônio insulina, associado a transporte do açúcar”, acrescenta a nutricionista.

Sendo assim, evite os refrigerantes! Substitua-os por sucos naturais ou água.

3. Doces

Os carboidratos, proteínas e gorduras são matéria prima para produção de energia, “porém, quando consumimos uma quantidade superior à necessidade, estocamos o excesso na forma de gordura. Os açúcares, em geral, estão muito associados ao aumento de fome e ansiedade, favorecendo a uma ingestão cada vez maior de alimentos”, explica a nutricionista Daniela.

4. Frituras

Não é segredo para ninguém que o hábito de comer alimentos fritos é prejudicial à saúde. “Além de muito calóricas, as gorduras ‘ruins’ são muito patogênicas à saúde intestinal, desequilibram a permeabilidade, favorecendo o aumento de inflamação, além de maior produção de toxinas pelo intestino. E sempre que alteramos microbiota intestinal, podemos desequilibrar muitos hormônios, como por exemplo, a serotonina (hormônio do prazer), que também é produzida no intestino e exerce um papel importante no apetite e ansiedade”, destaca a nutricionista.

5. Leite e derivados

“Muito mal digeridos pela maioria das pessoas, os leites e seus derivados podem, além de aumentar produção de gases, gerando estufamento abdominal, desfavorecer a microbiota intestinal e, por permeabilidade, aumentar a inflamação. A inflamação é muito associada ao ganho de gordura, além de outros desequilíbrios e patologias”, explica Daniela.

6. Alimentos industrializados

“Ricos em conservantes (alteração da microbiota e intoxicante), sal (inflamação e retenção de líquidos), açúcar (aumento da glicemia e estoque de gordura), geralmente são pobres em nutrientes que são os reais ativadores de metabolismo”, destaca a nutricionista.

7. Carboidratos refinados (pães, arroz, biscoitos)

Os alimentos refinados têm o mesmo efeito que os açúcares, geralmente, são pobres em vitaminas e minerais. “Toda vez que você dá muito combustível, menos o seu estoque de gordura será utilizado”, explica a nutricionista.

Hábitos que você deve adotar

Daniela Tobaja destaca que, tanto para perder gordura, como evitar o ganho dela, as regras básicas são as mesmas: evitar os alimentos que não irão lhe proporcionar saúde; quando consumi-los, usar de moderação; e aumentar os alimentos que realmente trazem benefícios ao seu organismo, como os cereais integrais, frutas e verduras. Em caso de dúvidas e para maiores informações consulte sempre seu nutricionista.

As atividades físicas também são importantes e devem ser praticadas com frequência por pessoas que se preocupam com a sua saúde e estética e querem evitar o acúmulo de gordura na região abdominal. O hábito de praticá-las e associá-las a uma boa alimentação são fundamentais para um corpo e uma vida saudável.

Receba nossas melhores dicas diretamente em seu e-mail

Assine nossa newsletter para receber nossas novidades sobre os assuntos do momento.

Nós odiamos spam. Nunca usaremos seu e-mail para outros fins.

Comentários
Dicas relacionadas