Aleitamento no copinho diminui as chances do desmame

Pediatra explica as vantagens de usar o copinho em vez da mamadeira

Por Gisele Macedo Sá
Atualizado em 21/06/2012 13:42
aleitamento no copinho diminui as chances do desmame Aleitamento no copinho diminui as chances do desmame

Foto: Thinkstock

Depois do nascimento do bebê o momento mais esperado pela mãe certamente é o de amamentar. Porém, em alguns casos, a mãe pode ter dificuldades ou enfrentar fatores que contribuam para o não aleitamento direto no peito em determinado momento. Nesta hora é preciso encontrar outro caminho para alimentar o recém-nascido. Na maioria dos casos, a família opta pela mamadeira, mas poucas mulheres conhecem uma solução prática e que pode evitar o desmame: o copinho para aleitamento.

O pediatra, presidente do Departamento Científico de Aleitamento Materno da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Luciano Borges Santiago, explica que “na mamadeira é mais fácil para o bebê se alimentar, já que ele não precisa fazer muitos esforços. Então, depois do contato com ela, ele provavelmente não vai querer mais mamar no peito. É quando acontece o desmame”.

O aleitamento com o copinho pode ser feito quando a mãe precisar se ausentar por algumas horas, quando estiver se recuperando de alguma fissura grave na mama ou também no período de volta ao trabalho, em que a mãe não está disponível o tempo todo para o bebê mamar no peito.

A vantagem do copinho é justamente estimular o bebê de forma parecida com a amamentação no peito e evitar o desmame. “O copo não traz riscos do recém-nascido ‘largar’ o peito, já que a musculatura utilizada e a movimentação realizada se aproximam muito da forma de mamar no peito. Assim a possibilidade do bebê se confundir diminui”, explica o especialista.

Mas o pediatra alerta para a necessidade de treinamento da mãe. “Há uma técnica correta para a utilização do copinho. Quem oferece o leite tem que estar atento, olhar fixamente para a face do bebê e só virar o copo na boca da criança quando ela fizer movimentos de sucção”, explica Santiago. Neste caso, com a atenção voltada às reações do bebê, os riscos de afogamento ou de engasgo durante a amamentação diminuem.

O copinho para aleitamento tem uma forma específica para atender aos recém-nascidos e lactentes. É confeccionado em vidro, para permitir uma higienização mais eficaz e reduzir o perigo de contaminação através das substâncias liberadas pelo plástico. O uso do copinho traz também outras vantagens como a diminuição dos riscos de deformidades faciais e dentais que a mamadeira pode causar. Além de diminuir a respiração do bebê por via oral, prática que pode levar a infecções de vias aéreas como otites, sinusites e amigdalites.

O ideal mesmo é conversar com seu pediatra caso sua situação não permita uma amamentação constante no peito. Desta forma ele vai tirar todas as dúvidas da mulher e orientá-la para uma prática saudável e segura tanto para mãe, quanto para o filho.