A importância do ácido fólico na gestação

O suplemento é fundamental para o desenvolvimento do bebê e deve ser tomado antes mesmo de a mulher engravidar

Por Deborah Busko
Atualizado em 08/05/2012 10:34

acido folico gestacao A importância do ácido fólico na gestação

Toda mulher que planeja ter um filho precisa redobrar a atenção quanto aos seus hábitos e sua alimentação, já que os cuidados com a gestação devem ser tomados antes mesmo de a mamãe estar grávida. Um bom acompanhamento durante os nove meses reduz as chances de alguma alteração congênita no bebê.

Uma das recomendações dos ginecologistas para as mulheres que pretendem engravidar é tomar ácido fólico pelo menos três meses antes de engravidar e estender a ingestão durante o primeiro trimestre da gravidez.

O ácido fólico (também conhecido como folato ou vitamina B9) é uma vitamina derivada do complexo B que tem papel relevante na gravidez porque é essencial para que a coluna do bebê se desenvolva corretamente, evitando defeitos do tubo neural, como falha no desenvolvimento do cérebro e da medula espinhal.

O uso de suplemento vitamínico de ácido fólico reduz ainda o risco de problemas no trato urinário e no sistema cardiovascular dos bebês, além de diminuir os sintomas de enjoos, náuseas e vômitos nas mamães, comuns durante o primeiro trimestre da gestação. Também reduz a incidência de partos prematuros e melhora a qualidade do leite materno. Há estudos que sugerem ainda que o ácido fólico pode reduzir o risco de mulheres desenvolverem pré-eclâmpsia, uma doença séria que pode comprometer a saúde da mãe e do bebê.

Alimentos como espinafre, aspargo, brócolis, vegetais de folhas verde-escuras, grãos (feijões), fígado, frutas cítricas e gema de ovo têm essa vitamina, mas às vezes a quantidade não é suficiente. Durante o preparo, o processo de cozimento diminui a ação da vitamina.

Por isso, os médicos aconselham o uso de suplementos com a vitamina, que são comprovadamente mais eficientes e servem como um reforço para que a dose recomendada pela Organização Mundial da Saúde de 0,4 miligramas por dia seja ingerida pela futura mamãe.

Como nem toda gravidez é planejada, os médicos costumam prescrever o suplemento de ácido fólico assim que ela é diagnosticada, já que o desenvolvimento fetal é rápido no início da gestação e a formação do tubo neural acontece nas primeiras quatro semanas. Por essa razão, o ideal, segundo os especialistas, é que as mulheres em idade fértil façam uso dos suplementos e consumam alimentos ricos em ácido fólico independente de estar ou não planejando uma gravidez.